Produção industrial do ES teve variação positiva de 0,4% em junho

A indústria nacional cresceu 9,9% entre maio e junho de 2020 com a segunda alta mensal consecutiva. O impacto da pandemia da Covid-19 para a produção industrial no país ainda está presente no resultado de junho de 2020 que recuou 9,0% em relação ao mesmo mês do ano anterior. 

No Espírito Santo a produção industrial de junho variou +0,4% em relação a maio, a primeira mudança na tendência de queda observada desde o mês de fevereiro. 

No primeiro semestre a indústria nacional teve variação acumulada de -10,9%, o que demonstra que mesmo com a retomada gradual das atividades, a produção industrial em junho ainda não chegou ao nível anterior à pandemia. O resultado de junho da indústria capixaba também foi incipiente para demonstrar uma retomada das atividades, e a produção acumulada no ano segue em queda (-20,8%) quando comparada ao período de janeiro a junho de 2019. 

A produção da indústria nacional foi fortemente impactada pela pandemia da Covid-19 no segundo trimestre de 2020 e registrou queda de 19,4% em relação ao mesmo período de 2019. Para a mesma base de comparação, a produção industrial no Espírito Santo apresentou recuou de 29,8%. A situação da produção industrial do Espírito Santo se revela ainda mais crítica do que a média nacional pela intensidade das quedas desde o primeiro trimestre de 2019. No segundo trimestre de 2020 a queda da indústria geral no Espírito Santo refletiu as quedas de produção registradas pelas indústrias extrativa e de transformação. 

  • A indústria de transformação capixaba avançou 8,4% em junho em relação ao mês anterior, alcançando o primeiro resultado positivo desde fevereiro de 2020.
  • A indústria extrativa recuou 7,3% na passagem de maio para junho devido à redução da produção de minérios de ferro, de óleos brutos de petróleo e de gás natural. 
  • Minerais não metálicos foi a atividade com maior alta em junho (+18,0%) pela influência positiva da produção de cimentos "Portland". 
  • A metalurgia teve alta de 6,1% em junho, com crescimento da produção de tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço. Considerando a variação acumulada no ano, que passou de -19,3% em maio para -21,0% em junho,  o setor intensificou a queda em relação ao nível de produção de 2019. 
  • A indústria de alimentos foi muito impactada em abril (-14,0%), mas registrou crescimento nos meses de maio (+2,8%) e junho (+3,3%). A produção de alimentos no Espírito Santo teve queda acumulada no ano de 7,2% quando comparada ao período de janeiro a junho de 2019, com influência negativa de bombons e chocolates c/ cacau, refrescos, sucos ou néctares de frutas e carnes de bovinos congeladas.