BEC de setembro traz em destaque análise sobre a inflação brasileira no contexto da pandemia de Covid-19

A inflação brasileira no contexto da pandemia de Covid-19

Apesar de o atual patamar da inflação no Brasil e as expectativas para o IPCA em 2020 não ameaçarem o cumprimento da meta de inflação deste ano, a alta recente do preço de determinados produtos chamou atenção.

O IPCA é o índice oficial da inflação brasileira e, embora acompanhar o IPCA geral seja importante para entender como os preços estão se comportando na economia, dado o atual cenário advindo com a crise econômica e sanitária da Covid-19, mostra-se relevante observar o comportamento dos preços de acordo com alguns recortes específicos.

A seção destaque desse mês analisa outros componentes e recortes, como os de itens comercializáveis e não comercializáveis (tradables x non tradables); os preços livres e os preços administrados; a divisão entre IPCA Alimentação em domicílio, IPCA Serviços, IPCA Bens Industriais.

O texto também busca mostrar que muitas variáveis econômicas, internas e externas, impactam o nível de preço de determinados grupos de bens e serviços e influenciam o nível de inflação do país.

Para este ano, as pressões cambiais e a recuperação econômica podem fazer com o que o IPCA geral se eleve até o final de 2020 e fique mais próximo da meta. Para o próximo ano, o cenário é de incerteza provocada pelo aumento de gastos do governo com o combate à pandemia e o possível risco fiscal atrelado à não manutenção do Teto de Gastos, podendo impactar as expectativas para a inflação de 2021.

Clique aqui para acessar o Boletim completo e conferir a íntegra do texto da Seção Destaque


Atividade Econômica

A seção traz os principais dados sobre a atividade econômica do Brasil e do Espírito Santo, destacando os resultados do PIB do 2º trimestre que teve queda de -9,7% no Brasil, segundo o IBGE, e de -12,2% no Espírito Santo, segundo estimativa do IAE-Findes, ambos na comparação contra o 1º trimestre do ano. Por outro lado, os dados setoriais do ínicio do 3º trimestre, referentes ao mês de julho, mostram um processo de retomada da economia brasileira e capixaba, com variação mensal positiva em todos os setores.

Desempenho Industrial

Especificamente sobre o desempenho da indústria, os dados da PIM-PF referentes a julho apontaram o crescimento de 8,0% da produção física nacional na comparação contra junho. Para o Espírito Santo essa alta foi de 28,3%, a segunda maior dentre as 15 regiões pesquisadas.

Preços, Juros e Crédito

A inflação acumulada em 12 meses até agosto atingiu 2,44% no Brasil e 2,45% na Região Metropolitana da Grande Vitória. Apesar do destaque da alta recente do IPCA no grupo de alimentação e bebidas, essa elevação de curto prazo não ameaça o cumprimento da meta de inflação para 2020, que é de 4,00%. Em setembro, o Comitê de Política Monetária optou pela manutenção da taxa Selic em 2,00% a.a.

Finanças Públicas Estaduais

A arrecadação do Governo do Espírito Santo em agosto teve queda de -14,4% em comparação a agosto de 2019. Mesmo com o recebimento de auxílios do Governo Federal para o enfrentamento da pandemia, a queda nas receitas de participações especiais referente às atividades de exploração do petróleo contribuiu para o resultado. No acumulado do ano entre janeiro e agosto, as receitas do Governo do Estado tem queda de -9,9% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto as despesas acumulam alta de 2,7%.

    O Boletim Econômico Capixaba é uma publicação mensal do Ideies sobre a conjuntura econômica do Espírito Santo e do Brasil.

    Para acessar o arquivo com a edição completa do Boletim, clique aqui.

    Para acessar todos os gráficos e tabelas desta edição do Boletim, clique aqui.

O Ideies tem produzido outros materiais para acompanhamento da pandemia da Covid-19:

Clicando aqui você pode acessar os boletins com a evolução dos casos e as pesquisas de opinião com empresários capixabas sobre os impactos da pandemia.

Clicando aqui você confere o painel interativo de monitoramento dos casos.