No ES, 696 mil pessoas estavam sem ocupação ou gostariam de trabalhar em setembro, estima a Pnad Covid19

Em setembro, a taxa de desocupação no Espírito Santo foi de 12,9%, segundo estimativas da Pnad Covid19. Foram 253 mil pessoas em busca de emprego no mês no estado. Em relação a agosto, a taxa foi considerada estável. Contudo, a taxa tem apresentado tendência de alta desde o início da pesquisa, em maio de 2020, quando foi de 9,6%.

De maio para setembro houve aumento de 34,1% no total de pessoas desocupadas no estado, o total de ocupados reduziu 3,4% e o total de pessoas fora da força de trabalho aumentou 1,2%.

De maio para setembro, vem reduzindo o total de pessoas que não realizaram busca efetiva por trabalho por conta da pandemia ou por falta de trabalho na localidade. Se em maio esta população representava 60,5% da população que gostaria de trabalhar e não fez busca efetiva por trabalho, em setembro esta razão caiu para 54,4%.

Em setembro, 443 mil pessoas estavam fora da força de trabalho capixaba e gostariam de trabalhar, mas não fizeram busca efetiva de trabalho na semana anterior à entrevista. Ao somar esta população ao total da população desocupada, chega-se a um total de 696 mil pessoas que estão pressionando o mercado de trabalho em busca de alguma ocupação ou que estariam se estivessem procurando trabalho.

No Brasil a taxa de desocupação vem avançando e atingiu 14,0% em setembro, um total de 13,5 milhões de brasileiros em busca de trabalho. Desta população desocupada, 61,8% era preta ou parda, 48,6% tinha idade entre 14 e 29 anos e 51,9% era de mulheres - de maio a setembro o total de mulheres desocupadas aumentou em 39,6%, enquanto entre os homens a alta foi menor, de 26,8%. A taxa de desocupação foi maior entre os jovens de 14 a 29 anos, 23,6%.

Entre os 26,1 milhões de brasileiros não ocupados que não procuraram trabalho, mas gostariam de trabalhar em setembro, 62,3% eram mulheres e 46,8% tinham entre 14 e 29 anos. Se considerada esta população junto à população desocupada no país, o percentual de brasileiros em busca de trabalho ou que gostaria de trabalhar, mas não fez busca efetiva de trabalho na semana anterior à entrevista, seria de 32,3%, com maior participação de mulheres e de jovens neste grupo.

Indicadores de saúde

A pesquisa também captou que em setembro, 3,2% da população capixaba (129 mil pessoas) apresentou algum dos sintomas. Este indicador vem reduzindo progressivamente, com queda de 27,1% em relação a maio.

Até setembro, no Espírito Santo, 389 mil pessoas (9,6% da população total) declararam ter realizado testes para saber se estavam infectados pelo novo Coronavírus. Aumento de 15,9% em relação àqueles que realizaram o teste até o mês de agosto. Daqueles que realizaram o teste, 26,3% testou positivo (102 mil pessoas), o equivalente a 2,5% da população total do estado.

De agosto para setembro, no Espírito santo, houve alta de 8% nas declarações de diagnósticos de depressão, comorbidade que mais cresceu, dentre as pesquisadas. Cerca de 2,6% da população declarou possuir diagnóstico médico de depressão em setembro.

Isolamento Social

No estado, de agosto para setembro, reduziu de 19,8% para 16,2% o total de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas, na semana anterior à entrevista. Em setembro, 42,1% da população capixaba declarou ter ficado em casa e saindo apenas por necessidade básica. Para o Brasil este percentual foi de 40,6%, em setembro.

A Pesquisa Pnad-Covid19 do IBGE estima o número de pessoas com sintomas associados à síndrome gripal e monitora os impactos da pandemia da Covid-19 no mercado de trabalho.