Produção industrial do ES avançou 25,1% na passagem do 2º para o 3º trimestre

O IBGE divulgou, no dia 10 de novembro, os dados da Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM-PF) referentes ao mês de setembro de 2020. A produção física da indústria brasileira cresceu 2,6% na passagem de agosto para setembro, quinto crescimento mensal consecutivo, com o ajuste sazonal. Com isso, a indústria brasileira eliminou a perda acumulada de -27,1% dos meses de março e abril, e retomou o patamar anterior à pandemia da Covid-19.

A produção física da indústria do Espírito Santo cresceu 5,0% na variação marginal. Este resultado foi influenciado pela alta de 13,1% da indústria extrativa, já que a indústria de transformação caiu -2,6% - todos com ajustes sazonais. Mas, apesar de ter ficado acima da média nacional em setembro (com o 4º melhor resultado entre os 15 locais pesquisados), a produção física da indústria capixaba ainda se encontra -2,1% abaixo do verificado em janeiro e -8,8% em relação a fevereiro desse ano.

No que diz respeito ao terceiro trimestre, a indústria capixaba cresceu 25,1% em relação ao 2º trimestre, superando a média nacional que foi de 22,3%. No Espírito Santo, a indústria extrativa permaneceu estável (0,0%) e a indústria de transformação avançou 31,4%, nessa base de comparação.

  • A indústria extrativa avançou 13,1% em setembro contra agosto e puxou a indústria geral do estado.
  • A indústria de transformação apresenta melhor desempenho em relação ao ano passado, puxado pelos setores de alimentos, papel e celulose e minerais não-metálicos.
  • O setor de alimentos apresenta resultado positivo em todas as bases de comparação.
  • O setor de papel e celulose teve queda de -24,0% na variação mensal que pode ser explicado pelas paradas para manutenção de 2 das 3 linhas de produção da Suzano em Aracruz. Mas no acumulado do ano e em relação a setembro do ano passado, o setor registrou altas de 9,6% e 3,1%, respectivamente.
  • Minerais não-metálicos apresentou a quinta alta consecutiva na variação marginal e o segundo avanço em relação ao mesmo mês do ano passado, e situa-se acima do patamar pré-crise.
  • A metalurgia apresentou desempenho negativo em todas as bases de comparação.

No 3º trimestre todos os segmentos da indústria de transformação acima apresentaram altas, sendo 53,1% para os produtos alimentícios, 40,8% para os minerais não-metálicos, 10,4% para a metalurgia e 4,1% para papel e celulose. Vale ressaltar que o período que compreende o 2º trimestre foi marcado pela maior adoção das medidas preventivas quanto à Covid-19, sobretudo nos meses de abril e março.

    Clique aqui para conferir a Nota Conjuntural sobre a PIM-PF do Espírito Santo referente ao mês de setembro e ao 3º trimestre elaborada pelo Ideies.

No Espírito Santo, o nível da atividade industrial de setembro foi o melhor desde março desse ano, demonstrando que o setor no estado está caminhando gradativamente para os níveis de pré-pandemia, sendo que o processo de recuperação de alguns segmentos estão mais acelerados, como o caso de alimentos e minerais não-metálicos.