Atividade econômica capixaba cresce 9,5% no 3º trimestre de 2020

PUBLICADO EM 11 Dez 2020

Após queda no 2º trimestre de 2020 (-12,4%), a atividade econômica capixaba, apresentou crescimento expressivo de 9,5% no 3º trimestre. A forte queda seguida pela recuperação acentuada, configurou um crescimento em “V”, favorecido pela flexibilização das medidas de isolamento social para combate à pandemia da Covid-19, que vigoraram com maior intensidade no 2º trimestre do ano.

No 3º trimestre do ano, o crescimento da atividade econômica foi disseminado entre todos os setores da economia capixaba, quando comparado ao 2º trimestre. O destaque ficou por conta da indústria que apresentou crescimento expressivo de 19,1%.

Dentro da indústria, todas atividades cresceram. Só a indústria de transformação cresceu 29,8%, seguida pelo avanço nas atividades de construção (7,9%), energia e saneamento (6,2%) e indústrias extrativas (4,6%).

O avanço de 29,8% da indústria de transformação fez com que a atividade não apenas retomasse o patamar de atividade do 4º trimestre de 2019 – período pré-pandemia, como ficou 4% acima dele.

Também cresceram os serviços (+7,9%) influenciado pelo crescimento de 26% nas atividades de comércio e o setor de agropecuária se manteve praticamente estável (+0,1%).

Contudo, o crescimento observado ainda não foi suficiente para que a atividade econômica capixaba retornasse ao nível de atividade do 4º trimestre de 2019, nível que antecedeu a pandemia, com a atividade econômica capixaba estando 4,3% abaixo do último trimestre de 2019. O resultado também se encontra 4,1% abaixo do 1º trimestre de 2020.

O desempenho da atividade econômica capixaba no 3º trimestre de 2020, quando comparado ao do 3º trimestre de 2019, foi de queda de 4,3%. Todos os grandes setores apresentaram desempenho inferior ao mesmo trimestre do ano passado, com a indústria retraindo 14,2%, serviços 2,1% e agropecuária 6,7%.

A ressalva é para a atividade da indústria de transformação que ficou 2,2% acima do nível de atividade do 3º trimestre de 2019. As atividades de celulose e papel, produtos alimentícios e fabricação de minerais não metálicos impactaram positivamente o crescimento da indústria de transformação.

Para o resultado do acumulado no ano, o estado acumulou perda de 6,0% de janeiro a setembro em relação ao mesmo período do ano passado, com baixa em todos os setores de atividade. Para o Brasil esta perda foi de 5%.

Resultados setoriais mais detalhados podem ser conhecidos no Relatório do IAE-Findes do 3º trimestre de 2020.

Baixe os dados do IAE-Findes clicando aqui.

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Suiani Febroni

Economista graduada na UFES e mestre em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp. Atua como Analista de Estudos e Pesquisas na Gerência do Observatório da Indústria. Pesquisa temas relacionados à atividade econômica, mercado de trabalho e educação.