INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO EXPORTAM US$ 904 MILHÕES NO PRIMEIRO TRIMESTRE

Valor é o maior para o período de janeiro a março desde o início da série histórica

PUBLICADO EM 03 Mai 2021

No primeiro trimestre de 2021, mesmo com a continuidade de medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19 no mundo, os impactos para o comércio exterior brasileiro foram menos abrangentes que no ano passado. Alguns fatores têm contribuído para um cenário mais favorável das exportações como o aumento nos preços das commodities e crescimento da China e dos Estados Unidos.

Os fluxos de comércio exterior do Brasil e do Espírito Santo do primeiro trimestre de 2021 superaram os valores registrados no mesmo período do ano anterior. Porém, o crescimento de valor das exportações reflete uma base de comparação bastante deprimida em 2020 devido aos impactos econômicos das medidas de combate à Covid-19.

As exportações brasileiras totalizaram US$ 55,6 bilhões, com alta de  15,7% no primeiro trimestre de 2021 em relação ao ano anterior. Enquanto as importações alcançaram US$ 47,7 bilhões e subiram 5,4% em comparação com 2020; a balança comercial fechou o primeiro trimestre de 2021 com superávit de US$ 7,9 bilhões.

No primeiro trimestre de 2021 as exportações capixabas alcançaram US$ 1,7 bilhão, com alta de 25,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto as importações se mantiveram estáveis em US$ 1,3 bilhão, variação de 0,7%. A balança comercial fechou o primeiro trimestre de 2021 com superávit de US$ 449,1 milhões. 

As exportações capixabas do primeiro trimestre de 2021 superaram o ano anterior em valor em todos os segmentos de atividades econômicas. Apenas as indústrias extrativas ficaram abaixo do patamar de exportações pré pandemia de Covid-19.

  • A agropecuária exportou US$ 188,0 milhões, uma alta de 32,9% em relação ao ano anterior e o melhor desempenho para o primeiro trimestre desde 2015. Os produtos exportados que mais contribuíram para esse crescimento foram o café (+34,1%) e a pimenta (gênero Piper) (+58,4%).
  • As exportações das indústrias de transformação cresceram 25,2% em relação ao primeiro trimestre de 2020 e alcançaram US$ 903,7 milhões o maior valor desde o início da série histórica para o período de janeiro a março. Os produtos que mais se destacaram foram semimanufaturados de ferrou ou aço não ligado (+84,0%), pedras de cantaria (+41,1%) e outras ligas de aço, em lingotes ou outras formas primárias (+126,6%). Dentre os principais produtos exportados, apresentaram queda as pastas químicas de madeira (-13,9%) e o ferro fundido (-44,3%).
  • O valor exportado pelas indústrias extrativas cresceu 24,8% em relação ao ano anterior. Os principais produtos exportados foram os minérios de ferro, cujo valor cresceu 45,9%, porém registrou queda de 24,0% da quantidade.

O crescimento do valor acumulado das exportações capixabas foi impulsionado pela alta de 48,5% das vendas destinadas aos Estados Unidos que alcançaram US$ 709,1 milhões. Os principais bens exportados com destino ao país foram os produtos semimanufaturados de ferro ou aço não ligado e outras ligas de aço que tiveram crescimento de 100,9% e de 120,2%, respectivamente.

Já as exportações para o bloco de países asiáticos caíram 38,9%, tendo como principal fator a redução do valor exportado para a China em US$ 57,7 milhões, o que representa queda de 54,3% em relação ao primeiro trimestre de 2020. No primeiro trimestre de 2021 não foram registradas exportações de minérios de ferro para a China, estes que foram o principal produto exportado no mesmo período do ano anterior e alcançaram o valor de US$ 67,6 milhões.

Em 2021 a OMC estima que o volume de comércio mundial deve crescer 8,0%, após uma queda de 5,3% no ano passado¹. A pandemia de Covid-19 continua sendo a maior ameaça à expansão dos fluxos comerciais entre os países.

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Vanessa Avanci

Economista, doutora em Economia pela UFF. Analista sênior do Observatório do Ambiente de Negócios, escreve sobre conjuntura econômica e atua realizando estudos e pesquisas sobre a indústria, comércio exterior, produtividade e inovação.