No ES, ocupação volta a crescer no 2º trimestre de 2021

O IBGE divulgou, em 31 de agosto de 2021, os dados da Pnad Contínua referente ao 2º trimestre de 2021.

PUBLICADO EM 22 Set 2021

Os resultados do 2º trimestre de 2021, um ano após os efeitos mais intensos da pandemia da Covid-19 sobre o mercado de trabalho, mostraram que a ocupação no estado voltou a crescer, após quatro trimestres consecutivos de quedas. Esse crescimento da ocupação foi favorecido pela maior imunização da população contra a Covid-19 e do consequente arrefecimento da curva de casos e óbitos observada no início do trimestre, o que propiciou o retorno mais efetivo das atividades econômicas durante o trimestre.

O aumento de 5,1% da população ocupada no ES foi resultado do avanço de 16,4% das ocupações informais que retomaram no trimestre e impactaram em 6,4 pontos percentuais o crescimento total de ocupados (Gráfico 1). Movimento semelhante foi identificado para o Brasil que registrou crescimento de 5,3% no total de ocupados em função da alta de 15,8% dos informais.

Com a expansão dos ocupados puxada por trabalhadores informais, a proporção dos informais no Espírito Santo, em relação ao total de ocupados, cresceu de 37,0% no 2º trimestre de 2020 para 41,0% no segundo trimestre de 2021 (Gráfico 2), o que representa cerca de 758,1 mil pessoas.

Em relação aos desocupados, no 2º trimestre de 2021, o Espírito Santo atingiu o menor percentual de desocupados para o estado desde o início da pandemia de Covid-19, no primeiro trimestre de 2020. A taxa de desocupação foi de 11,4% no trimestre, o que representa redução de 0,9 ponto percentual frente ao mesmo trimestre de 2020. Este foi o menor percentual de desocupação para o estado desde o início da pandemia de Covid-19, no 1º trimestre de 2020.

Rendimento

Entre os ocupados no Espírito Santo, observou-se no 2º trimestre um aumento na massa salarial e no rendimento efetivamente recebido no trabalho principal na comparação interanual, após sucessivos trimestres de perdas de renda, verificados especialmente a partir do segundo trimestre de 2020 (Gráfico 3). A massa salarial estimada para o Espírito Santo no 2º trimestre de 2021 foi de R$ 4,0 bilhões, o que representa aumento de 7,0% em relação ao mesmo trimestre de 2020. Esse aumento decorre do aumento de 5,1% dos ocupados no estado e de 2,0% no rendimento médio.

 

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Bruno Novais

Graduando em Ciências Econômicas pela UFES. Auxiliar na Gerência do Observatório da Indústria, atua na execução de pesquisas primárias, criação e manipulação de bases de dados, e no auxílio em estudos econômicos-conjunturais.