Observatório da Indústria lança 6ª edição do Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no Espírito Santo – 2022

Assegurando que a informação é um ativo precioso, o Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no Espírito Santo reúne as mais importantes variáveis de análises do setor para o estado, aliando o rigor técnico e informação estruturada, atualizada e confiável.

PUBLICADO EM 24 Abr 2023

A produção de petróleo e gás natural impulsionou uma nova fase do desenvolvimento socioeconômico do Espírito Santo. Atualmente, o setor possui a maior representatividade no valor adicionado da indústria geral no estado. Segundo dados do IAE-Findes, o setor representava 20,0% do valor adicionado da indústria geral no Espírito Santo.

Dada a especificidade da produção desses insumos, a extração de petróleo e gás natural é dependente do fornecimento de produtos e serviços de alta complexidade tecnológica. Essa característica atraiu empresas interessadas em fornecer bens e serviços às petroleiras, fomentando a cadeia de fornecedores do setor de petróleo e gás natural no Espírito Santo, que emprega diretamente cerca de 12 mil funcionários só no mercado formal, com uma remuneração média mensal de R$ 6.976,6, superior à remuneração média mensal total do estado (R$ 2.631,04) e do país (R$ 3.081,3). Além disso, é um importante gerador de receitas. Em 2022, foram mais de R$ 3,3 bilhões arrecadados no Estado com royalties e participações especiais.

Essas e muitas outras informações podem ser encontradas, nas versões português e inglês, na 6ª Edição do Anuário de Petróleo e Gás, que está dividida em 4 capítulos:

  • PANORAMA INTERNACIONAL
  • EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO ESPÍRITO SANTO
  • REFLEXOS ECONÔMICOS
  • OPORTUNIDADES PARA O ESPÍRITO SANTO

Em sua 6ª edição, o anuário conta com o apoio de instituições como IBP e ONIP, além de dois artigos de representantes relevantes do setor. O primeiro artigo trata da transição energética e o papel do setor de P&G. O texto é assinado por Roberto Ardenghy e Fernanda Delgado, presidente e diretora executiva do IBP, respectivamente. O segundo artigo apresenta a opinião de Marcio Felix sobre a recente evolução do nível de atividade do setor no ES, trazendo as expectativas de um empresário para o documento, o que reforça o papel do anuário de consolidar informações estratégicas para subsídios nas decisões de investimentos no âmbito do setor de petróleo e gás.

O Anuário ainda traz o mapa oficial do setor no Espírito Santo e o compêndio estatístico. Além disso, os dados do documento estão disponíveis no dashboard dinâmico, dentro do portal da indústria. Clique aqui para acessar.

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Nathan Diirr

Graduado em economia pela UFES, mestrando em economia pela mesma universidade. Atua como analista de estudos e pesquisas sênior na Gerência do Observatório do Ambiente de Negócios. Possui interesses nas áreas de regulação, petróleo e gás natural, infraestrutura e ambiente de negócios.