Sondagem industrial de fevereiro aponta menor otimismo entre os empresários industrias capixabas

PUBLICADO EM 19 Mar 2021

Em fevereiro de 2021, a pesquisa sondagem industrial para o Espírito Santo registrou o terceiro recuo consecutivo do indicador de volume de produção industrial no estado, enquanto o índice referente ao número de empregados manteve uma tendência de crescimento, confirmando a trajetória de recuperação.

O indicador de volume de produção atingiu 47,1 pontos em fevereiro, após aumentar 2,1 pontos frente a janeiro. Com esse resultado, o indicador revela contração da produção pelo terceiro mês consecutivo ao se localizar abaixo da linha divisória dos 50 pontos. Essa queda, no entanto, é comum para o período. Já o indicador que mede a evolução do número de empregados registrou 51,5 pontos pontos em fevereiro, refletindo um aumento no emprego disseminado entre as empresas pesquisadas pelo segundo mês consecutivo.

Expectativas

Os quatros indicadores de expectativas recuaram na passagem de fevereiro para março de 2021. Mesmo com esse recuo, os índices se mantêm acima da linha dos 50 pontos e indicam otimismo, no entanto, trata-se de um otimismo menos disseminado entre os industriais do Espírito Santo. Esse movimento pode estar atrelado à incerteza em relação à evolução da pandemia e seus possíveis efeitos na economia.

O indicador de intenção de investimento aumentou 2,8 pontos entre fevereiro e março de 2021 e alcançou 59,8 pontos. Com esse resultado, o índice se encontra 7,6 pontos acima da sua média histórica (52,2 pontos). 

A Sondagem Industrial é uma pesquisa de opinião, e seu objetivo é acompanhar o desempenho e as perspectivas da indústria, gerando indicadores de tendência passada e futura e de satisfação, que permite a empresários e analistas econômicos acompanhar a evolução recente da indústria.

 

Tags:

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Bruno Novais

Graduando em Ciências Econômicas pela UFES. Auxiliar na Gerência do Observatório da Indústria, atua na execução de pesquisas primárias, criação e manipulação de bases de dados, e no auxílio em estudos econômicos-conjunturais.