Sondagem aponta maior otimismo no setor da construção em novembro de 2021

PUBLICADO EM 24 Nov 2021

Em outubro de 2021, o Índice de Utilização da Capacidade Operacional (UCO) cresceu 5,0 pontos percentuais em relação a setembro de 2021 e atingiu 70,0 pontos. Com esse resultado, a UCO do Espírito Santo ficou acima da sua média histórica (60%).

Já o indicador de nível de atividade cresceu 1,1 ponto e registrou 48,0 pontos no mês. Apesar do avanço, o índice ainda está abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que sinaliza redução da atividade no setor. A evolução do número de empregados também se encontra abaixo da linha divisória, ao ter registado 47,4 pontos em outubro de 2021.

O nível de atividade em relação ao usual, por sua vez apresentou queda de 3,4 pontos e marcou 37,7 pontos, o que demonstra que o setor opera abaixo do nível usual.

Expectativas

Todos os indicadores de expectativas apresentaram bons resultados no mês de novembro de 2021. O índice de expectativas de novos empreendimentos e serviços apontou para 56,2 pontos, uma alta de 3,0 pontos em relação a outubro. Os índices de compras de matéria-prima (55,3 pontos), número de empregados (53,5 pontos) e nível de atividade (55,3 pontos) também aumentaram.

A intenção de investir no setor de construção também aumentou em novembro. O indicador que mede a propensão a investir cresceu 5,7 pontos e atingiu 46,8 pontos. Com isso, o indicador continua acima da sua média histórica (34,8 pontos).



A Sondagem Indústria da Construção é uma pesquisa de opinião, e seu objetivo é acompanhar o desempenho e as perspectivas do setor, gerando indicadores de tendência passada e futura e de satisfação, que permite a empresários e analistas econômicos acompanhar a evolução recente da indústria.

Tags:

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Christian Kobunda

Economista graduado na (UFU) e mestre em Economia pela (UFES). Atua como Analista de Estudos e Pesquisas na Gerência do Observatório da Indústria. Possui interesse em modelagem de dados em séries temporais, estudos macroeconômicos, setoriais, econômicos e industriais.