Utilização da Capacidade de Operação (UCO) do setor de construção registra 71% março de 2022

PUBLICADO EM 29 Abr 2022

Análise mensal

Em março de 2022, o índice que mede o nível de atividade registrou 48,6 pontos, uma alta de 4,5 pontos frente a fevereiro. Na mesma direção, o índice de evolução do número de empregos subiu 2,7 pontos e atingiu 48,3 pontos. Apesar dos avanços observados, os índices permaneceram abaixo da linha de 50 pontos, sinalizando contração das atividades. O nível de atividade em relação ao usual, por sua vez, manteve-se estável, após registrar 41,3 pontos em março de 2022.

Já o índice de Utilização da Capacidade de Operação (UCO) caiu 4,0 pontos e registrou 71,0 pontos. O que indica maior ociosidade em relação ao mês de fevereiro.

Análise trimestral

Pelo quinto trimestre consecutivo, a escassez ou alto custo de matéria-prima continua liderando o ranking de principal problema relatado na indústria da construção. No primeiro trimestre de 2022, 55,6% dos empresários capixabas do setor relataram essa dificuldade. Na sequência, a alta carga tributária e a falta ou alto custo de trabalhador qualificado dividiram a segunda posição no ranking, ambas declaradas por 33,3% das empresas pesquisadas. A demanda interna insuficiente foi relatada em seguida, por 27,8% das empresas pesquisadas, assim como a falta ou alto custo de mão de obra de obra não qualificada, também citada por 22,2% das industriais de construção.

Em relação aos indicadores de condições financeiras, estes apresentaram movimentos contrários no primeiro trimestre de 2022. Enquanto a situação financeira (46,4 pontos) aumentou 3,1 pontos, a margem de lucro operacional (36,1 pontos) diminuiu 7,2 pontos. Ambos os índices ficaram abaixo da linha divisória de 50 pontos, indicando insatisfação dos industriais do setor de construção do Espírito Santo em relação às condições financeiras.

Expectativas

Todos os indicadores de expectativas para os próximos seis meses caíram, mas permanecem acima da linha divisória de 50 pontos na passagem de março para abril de 2022, indicando otimismo do industrial da construção. Os indicadores de expectativas para o nível de atividade (58,3 pontos) e compra de matéria-prima (58,3 pontos) diminuíram 3,0 pontos. Os indicadores de expectativas de novos empreendimentos e serviços e nível de empregos registraram, ambos, 55,6 pontos, uma queda de 4,3 e 3,7 pontos, respectivamente.

Por fim, o índice de intenção de investimento na indústria da construção cresceu 8,2 pontos entre março e abril de 2022 e atingiu 51,9 pontos, estando 16,4 pontos acima de sua média histórica (35,5 pontos).



A Sondagem Indústria da Construção é uma pesquisa de opinião, e seu objetivo é acompanhar o desempenho e as perspectivas do setor, gerando indicadores de tendência passada e futura e de satisfação, que permite a empresários e analistas econômicos acompanhar a evolução recente da indústria.

Tags:

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Christian Kobunda

Economista graduado na (UFU) e mestre em Economia pela (UFES). Atua como Analista de Estudos e Pesquisas na Gerência de Inteligência de Dados e Pesquisas. Possui interesse em modelagem de dados em séries temporais, estudos macroeconômicos, setoriais, econômicos e industriais.