UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE DE OPERAÇÃO DO SETOR DA CONSTRUÇÃO CRESCE PELO TERCEIRO MÊS CONSECUTIVO EM SETEMBRO

A Sondagem Indústria da Construção de setembro de 2020 para o Espírito Santo apontou uma menor ociosidade no setor, medida pelo indicador de Utilização da Capacidade de Operação (UCO). A UCO aumentou 6,0 pontos percentuais (p.p.) entre agosto e setembro de 2020 e registrou 68%, maior valor para o índice desde maio de 2014, momento anterior à crise econômica brasileira de 2014-2016.

O indicador de nível de atividade atingiu 46,3 pontos em setembro, com aumento de 1,8 ponto frente a agosto. Apesar do aumento, o índice permanece abaixo da linha dos 50 pontos e indica uma nova queda da atividade para o setor, porém, trata-se de uma queda menos disseminada entre as empresas pesquisadas.

Análise trimestral 

Os principais problemas enfrentados pelos empresários da construção no 3º trimestre foram a elevada carga tributária, burocracia excessiva e a falta de demanda interna. Os três itens foram assinalados por 31,6% dos empresários. Destaca-se aqui o problema relacionado à burocracia excessiva, que ocupou a primeira posição do ranking pela primeira vez desde 2017.

No 3º trimestre, os industriais da construção se mostraram menos insatisfeitos com a situação financeira de suas empresas e informaram que o acesso ao crédito se tornou menos difícil em comparação com o segundo trimestre do ano.

Expectativas

Em outubro, os indicadores de expectativas da indústria da construção apresentaram quedas entre setembro e outubro de 2020. Assim, três dos quatro índices, que se localizavam na região de otimismo, cruzaram a linha divisória dos 50 pontos e passaram a mostrar pessimismo para os próximos seis meses. Com 52,2 pontos, o indicador de expectativas em relação ao nível de atividade foi o único a localizar-se acima da linha dos 50 pontos e refletir otimismo dos empresários capixabas da construção no mês.

Ao recuar 7,1 pontos na passagem de setembro para outubro, o índice que mede a propensão a investir do industrial da construção (40,5 pontos) interrompeu uma sequência de seis aumentos consecutivos do indicador, que no mês anterior já se encontrava num patamar superior ao registrado em fevereiro (47,3 pontos), período pré-pandemia de Covid-19. Mesmo com a queda, o índice encontra-se 6,6 pontos e 3,4 pontos, respectivamente, da sua média histórica (33,9 pontos) e do valor registrado em outubro de 2019 (31,8 pontos).



        O Ideies divulga mensalmente um painel dinâmico e interativo com os resultados da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) para o Espírito Santo e para o Brasil.

        Além disso, trimestralmente, o leitor tem disponível um relatório com análise dos indicadores relacionados ao nível de atividade da indústria capixaba e às expectativas para os próximos seis meses.

        Acesse o relatório com as informações do 3º trimestre de 2020 aqui



TAGS: