Atividade Econômica do Espírito Santo fica em 0,2% no 2º trimestre de 2021

Resultados estimados pelo IAE-Findes

PUBLICADO EM 14 Set 2021

O começo do 2º trimestre de 2021 foi marcado pelo endurecimento das medidas restritivas contra a Covid-19, iniciadas em março deste ano, devido aos aumentos no número de casos da doença e na taxa de ocupação de leitos no estado. Com as melhoras progressivas no quadro epidemiológico capixaba em meados do 2º trimestre em diante, potencializadas pelo avanço no calendário de imunização, viabilizou-se a retomada gradual das atividades econômicas locais. Neste ínterim, a atividade econômica capixaba registrou leve alta de 0,2% em relação ao 1º trimestre de 2021 na série com ajuste sazonal, apresentando certa estabilidade no período. Comportamento semelhante foi observado com a economia nacional, que registrou um PIB de -0,1% na passagem do 1º trimestre para o 2º trimestre do ano.

Com esses resultados do 2º trimestre, a economia capixaba superou em 0,6% o patamar pré-pandemia (4º trimestre de 2019), ao passo que a economia nacional se encontra no mesmo nível daquele período. 

O resultado do IAE-Findes para o 2º trimestre de 2021 apresentou variações positivas da economia capixaba em todas as bases de comparação, com destaque para os expressivos avanços em relação ao 2º trimestre de 2020. Nesta análise interanual, a economia capixaba cresceu 16,6% e a economia nacional registrou uma variação no PIB de 12,4%. Para ambos os casos, a baixa base de comparação do 2º trimestre do ano passado, período de ampla adoção de medidas restritivas nos estados brasileiros e em várias regiões do mundo, favoreceu esses resultados. 

Ainda na comparação interanual, a indústria capixaba cresceu 26,4% ante ao 2º trimestre de 2020. Com exceção da indústria extrativa, que contraiu 2,7%, todos os setores industriais do estado avançaram no período: construção (75,4%), indústria de transformação (54,3%) e energia e saneamento (12,2%).

Vale destacar que, mesmo com a base de comparação fraca, as cinco atividades da indústria de transformação pesquisadas pelo IAE-Findes registraram avanços importantes frente ao 2º trimestre de 2020, são elas: metalurgia (73,3%), produtos minerais não-metálicos (57,4%), produtos alimentícios (56,1%), coque e derivados de petróleo (38,2%) e celulose e papel (30,0%).

O setor de serviços capixaba avançou 14,9%, com desempenhos positivos em todos os segmentos: comércio (35,7%), transporte (16,4%) e demais atividades (8,7%).

A ressalva dos resultados do estado é para o setor de agropecuária, que contraiu 5,3% na análise interanual, influenciado pelo aumento dos custos com insumos, pelo baixo volume de chuvas e pela bienalidade negativa do café, produto de considerável participação no setor.

Confira os resultados setoriais mais detalhados acessando o íntegra do Relatório do IAE-Findes.

E baixe os dados do IAE-Findes clicando aqui.

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Jordana Teatini

Economista pela UFJF, mestre em Economia pela UFES. Atua como Analista de Estudos e Pesquisa na Gerência de Estudos Econômicos, realizando análises conjunturais e pesquisas com foco nas áreas de Economia Industrial e Inovação.