Com aumento de 3,0 pontos percentuais, Utilização da Capacidade de Operação do setor da construção atinge 62% em fevereiro de 2021

PUBLICADO EM 24 Mar 2021

Em fevereiro de 2021, a pesquisa Sondagem Indústria da Construção para o Espírito Santo mostrou que a Utilização da Capacidade de Operação (UCO) do setor da construção registrou 61%, após aumento de 3,0 pontos percentuais (p.p.) frente a janeiro. Com essa alta, a UCO do estado supera em 1,0 ponto percentual a sua média histórica (60%). 

O indicador de nível de atividade recuou 7,2 pontos entre janeiro e fevereiro de 2021 e atingiu 43,2 pontos. Após essa queda, o índice cruzou a linha divisória dos 50 pontos e passou a refletir retração da atividade no setor da construção. O índice de evolução do número de empregados alcançou 49,0 pontos, também abaixo da linha divisória, indicando recuo no número de empregados no setor. Embora indique retração, em comparação a janeiro, o indicador cresceu 3,1 pontos, o que mostra uma queda do número de empregados menos disseminada entre as empresas pesquisadas em fevereiro.

Expectativas

Os indicadores de expectativas registraram fortes recuos entre fevereiro e março de 2020, assim, passaram a se localizar abaixo da linha divisória dos 50 pontos, indicando pessimismo em todas as variáveis pesquisadas. O maior recuo foi observado no ínice de expectativas para compras de insumos e matérias-primas, que diminuiu 17,4 pontos e marcou 43,8 pontos em março. 

A intenção de investir no setor da construção também reduziu em março. O indicador que mede a propensão à investir recuou 3,7 pontos e atingiu 44,0 pontos. No entanto, o indicador se mantém acima da sua média histórica (34,2 pontos).

A Sondagem Indústria da Construção é uma pesquisa de opinião, e seu objetivo é acompanhar o desempenho e as perspectivas do setor, gerando indicadores de tendência passada e futura e de satisfação, que permite a empresários e analistas econômicos acompanhar a evolução recente da indústria.

Tags:

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Bruno Novais

Graduando em Ciências Econômicas pela UFES. Auxiliar na Gerência do Observatório da Indústria, atua na execução de pesquisas primárias, criação e manipulação de bases de dados, e no auxílio em estudos econômicos-conjunturais.