Sondagem da Construção de abril aponta recuperação da Utilização da Capacidade de Operação e expectativas otimistas

PUBLICADO EM 24 Mai 2021

A pesquisa Sondagem da Construção para o Espírito Santo de abril de 2021 mostrou que os índices de nível de atividade e número de empregados registraram marca abaixo da linha divisória dos 50 pontos, indicando contração. O indicador de nível de atividade atingiu 42,7 pontos em abril de 2021, após aumento de 1,8 ponto frente a março. Nessa mesma base de comparação, o indicador de número de empregados cresceu 4,4 pontos, alcançando 46,8 pontos. 

O índice de Utilização da Capacidade de Operação cresceu 9,0 pontos percentuais (p.p.) na passagem de março para abril de 2021 e registrou 63%. Este valor é o maior para o índice no ano e reflete menor ociosidade do setor da contrução no Espírito Santo.

Expectativas

As expectativas dos empresários capixabas da construção melhoraram em maio de 2021, com os todos os quatro indicadores acima da linha divisória dos 50 pontos, indicando otimismo para os próximos seis meses. O maior aumento foi verificado no indicador de expectativas para o número de empregados, que cresceu 8,7 pontos entre abril e maio de 2021 e atingiu 54,2 pontos. 

O indicador de intenção de investimento registrou 38,8 pontos em maio, com aumento de 2,0 pontos em relação a abril. Assim, o indicador se localiza 4,5 pontos acima de sua média histórica (34,3 pontos). 

Acesse aqui a nota da sondagem da construção para o 1º trimestre.

A Sondagem Indústria da Construção é uma pesquisa de opinião, e seu objetivo é acompanhar o desempenho e as perspectivas do setor, gerando indicadores de tendência passada e futura e de satisfação, que permite a empresários e analistas econômicos acompanhar a evolução recente da indústria.

Tags:

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Bruno Novais

Graduando em Ciências Econômicas pela UFES. Auxiliar na Gerência do Observatório da Indústria, atua na execução de pesquisas primárias, criação e manipulação de bases de dados, e no auxílio em estudos econômicos-conjunturais.