PREÇOS DOS BENS EXPORTADOS CAEM 17,2% NO 2° TRIMESTRE DE 2020

 No Espírito Santo os impactos negativos da pandemia da Covid-19 para as exportações e para o saldo da balança comercial se intensificaram no segundo trimestre de 2020 e a situação no ano está relativamente pior do que a observada para os fluxos de comércio do país. As exportações capixabas caíram -32,5% no segundo trimestre de 2020 em relação ao ano anterior, após uma redução de -23,6% observada no primeiro trimestre. 

 A análise das exportações utilizando os índices de preço e quantum para o segundo trimestre mostra uma intensificação da relevância da queda de preço para explicar a redução de valor exportado e a deterioração da balança comercial. Os bens exportados tiveram queda de 17,2% no preço e de 18,3% no volume exportado, dado pelo índice de quantum, na comparação do 2° trimestre de 2020 com o mesmo período do ano anterior.

 Considerando as categorias de fator agregado das exportações, os bens básicos tiveram a maior queda de preço (-20,9%) do segundo trimestre, mas o volume exportado, dado pelo quantum, não teve variação. Assim, a queda de 21,0% do valor exportado de bens básicos no segundo trimestre de 2020 foi causada por uma forte queda de preço. Como exemplo de produtos impactados por essa tendência de queda dos preços internacionais no período de janeiro a junho de 2020, o café, principal produto agrícola exportado pelo estado, teve queda de 3,3% nas exportações, mesmo com aumento da quantidade exportada. 

    Entre janeiro a junho de 2020 o Espírito Santo perdeu participação no total das exportações brasileiras, que passou de 3,6% para 2,6%, em relação ao ano anterior. 

    Entenda os motivos para essa redução acessando a nota de comércio exterior do segundo trimestre de 2020.

A pandemia da COVID-19 alterou significativamente os fluxos de comércio no mundo e, consequentemente, do Brasil e do Espírito Santo. 

As exportações das indústrias extrativas do Espírito Santo retraíram 41,2% no ano de 2020 e demonstram o forte impacto nas atividades econômicas do estado. As exportações de produtos do setor que tiveram as maiores quedas foram os minérios de ferro (-42,5%) e os óleos brutos de petróleo (-44,3%).