Em novembro, o mercado de trabalho formal capixaba criou 8,5 mil novos postos de trabalho

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho divulgou nesta quinta-feira (23/12/2021) as informações do Novo Caged referentes à movimentação do mercado de trabalho formal do mês de novembro de 2021.

PUBLICADO EM 23 Dez 2021

No Espírito Santo, a movimentação do mercado de trabalho formal em novembro de 2021 resultou num saldo positivo de 8.535 postos formais. O saldo é resultado de 35.309 admissões ante 26.774 desligamentos no mês de novembro e representa um aumento de 1,1% no estoque de emprego formal, isto é, no total de vínculos de trabalho, em relação a outubro.

A criação de empregos no estado ocorre pelo 11º mês consecutivo e confirma a tendência de expansão do emprego formal, com o estado caminhando para fechar o ano com abertura expressiva de postos. De janeiro a novembro de 2021, 57.027 novas vagas com carteira assinada foram criadas no Espírito Santo. Com essa ampliação de vagas no ano, o total de emprego cresceu em 7,84% se comparado com a quantidade registrada ao final de 2020, totalizando 784.712 postos formais no estado.

A trajetória de crescimento do emprego formal também foi verificada para o Brasil, que em novembro registrou abertura de 324.112 postos celetistas. Com essas novas vagas, o país acumulou no ano, criação de cerca de 2,9 milhões de vagas formais. Esse saldo representou uma ampliação do total de empregos formais de 7,76% em relação ao final de 2020 no Brasil.

Análise setorial

As novas contratações no Espírito Santo, em novembro, foram fruto de abertura de postos nos cinco principais setores de atividade econômica. Na esteira das contratações típicas de fim de ano e beneficiados pelo arrefecimento da pandemia da Covid-19, os setores de serviços (+3.322) e comércio (+3.062) influenciaram, em maior medida, para as 8.535 vagas criadas no estado. Também contribuíram a indústria (+1.531), a construção (+579) e a agropecuária (+41).

No setor de serviços, os maiores números de contratações foram observados nas atividades de alimentação (+553) e transporte terrestre (+536). Já no comércio, o comércio varejista de vestuário e acessórios (+732) e hipermercados e supermercados (+601) contribuíram positivamente para o saldo do setor.

Na indústria geral, a indústria da transformação (+1.388) puxou as novas contrações do setor, o que já é aguardado, uma vez que respondem por 86,2% do total do emprego na indústria. Das 23 atividades da indústria da transformação, 16 abriram postos formais em novembro de 2021. Destas os maiores saldos podem ser observados nas atividades de:

  • Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (+546);

  • Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (+247);

  • Fabricação de produtos de minerais não metálicos (+153);

  • Fabricação de produtos alimentícios (+117).

Para o Brasil, apenas a agropecuária fechou postos em novembro, com saldo negativo de 16.97 vagas. Por outro lado, serviços (+180.960), comércio (+139.287), construção (+12.485) e indústria (+8.177) criaram vagas no mês.

Municípios do ES

Todos os 25 municípios capixabas com mais de 30 mil habitantes registraram saldo positivo de emprego formal em novembro de 2021. Destes, os maiores saldos foram vistos em Serra (+2.106), Vitória (+1.301) e Vila Velha (+1.111). Para os três municípios, os setores de serviços e comércio impulsionaram a abertura do emprego formal no mês.

Em Serra e Vitória, os setores de serviços e de comércio impulsionaram a criação de vagas, com abertura de 1.078 e 704 postos formais nos serviços e de 584 e 527 no comércio, respectivamente. Já Vila Velha teve seu saldo muito influenciado pelo comércio (+599), seguido pelo setor de serviços (+367).

 

Sobre o(a) editor(a) e outras publicações de sua autoria

Bruno Novais

Graduando em Ciências Econômicas pela UFES. Auxiliar na Gerência do Observatório da Indústria, atua na execução de pesquisas primárias, criação e manipulação de bases de dados, e no auxílio em estudos econômicos-conjunturais.